Bom Retiro: Complexo Cultural Luz recebe cataventos

Quem passa pelas ruas da região central de São Paulo pode encontrar uma variedade de cenas e objetos inusitados. Convergência de rotas, o movimentado local pode abrigar qualquer tipo de manifestação, inclusive intervenções artísticas com bicicletas, cataventos e até mesmo um farol feito de ratos.

Isso por que, a partir do dia 15 de abril, três intervenções farão parte da paisagem central. Criada pelo artista Eduardo Srur, as obras serão colocadas em pontos movimentados do centro com o objetivo de provocar uma reflexão no espectador sobre a forma como os espaços públicos e históricos são usados na cidade.

Nos fundos do Complexo Cultural Luz, no Bom Retiro – onde funcionou a primeira estação ferroviária da cidade – estarão os Cataventos, oito esculturas gigantes que se movimentam de acordo com a direção do vento. Já na área interna da Estação Julio Prestes, 60 Bicicletas no bairro do Bom Retiro ficarão suspensas por cabos de aço.





Já no vale do Anhangabaú estará O Farol, estrutura de 8 metros de altura que remete ao farol de sinalização marítima. O objeto estará coberto por 15 mil ratos de borracha e romperá o piso do local. O artista explica que a intenção é apontar para o submundo da metrópole e expor uma realidade que está sempre escondida. A ideia surgiu quando Strur descobriu que São Paulo tem uma das maiores populações de ratos do planeta, com uma média de quase 15 por habitante.

A exposição vai durar até o dia 30 de maio e se chamará “Sonhos e Pesadelo”. Segundo o artista, o título busca revelar um universo onírico. “A cidade é um campo de energia que pode transformar o seu melhor sonho ou o seu pior pesadelo em realidade”, explica. “As intervenções ajudam a potencializar a imaginação de seus habitantes e a despertar este universo lúdico em locais densos, como o centro de São Paulo”, conclui Srur.

Fonte: Catraca Livre





Deixe seu comentário