SPFW – Estilistas do Bom Retiro ganham espaço

Yoo Hee Lee faz parte de uma nova geração de coreanas que cresceram no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, um dos maiores polos atacadistas de moda do país, e agora começam a ganhar espaço no cenário fashion. Aos 22 anos, a estilista está entre os jovens talentos convidados para desenvolver a nova coleção da C&A, a T Collection, lançada na São Paulo Fashion Week nesta quinta-feira (15). O projeto inicial previa apenas camisetas, mas, depois das estampas prontas, a empresa ampliou para bolsas e sapatilhas.

Formada pela Faculdade Santa Marcelina há pouco mais de um ano, Yoo já apresentou uma coleção na Casa dos Criadores – evento de moda voltado aos novos talentos -, passou pela equipe de estilo da Ellus e agora integra o time da Cavalera. “Estou no grupo de estilo da coleção feminina comercial”, conta ela, para desassossego dos pais ansiosos por vê-la seguir os passos do irmão mais velho. Ele passou a gerir os negócios da família, a confecção Diotina, no Bom Retiro, assim que terminou a faculdade de Administração. Já Yoo quer estudar Moda em Londres e, quem sabe, até trabalhar por lá.

Também do Bom Retiro, Nuri Choo, 28 anos, já foi mais longe do que a conterrânea. Há quatro anos vem trabalhando com Fernando Pires, marca conhecida pelos sapatos extravagantes, que entra na passarela desta edição da SPFW nos desfiles da Cia Marítima, Adriana Degreas, Fause Haten, Amapô e André Lima. Agora ela virou sócia e cuida da coleção chique da marca, mais comercial. Os sapatos dos desfiles são feitos à mão.

Criações

Yoo Na Kim, outra coreana, 29 anos, está escrevendo mais um livro sobre moda no Bom Retiro. Neste terceiro volume, ela reúne oito estilistas coreanas, que desenharam croquis com dicas de tendências para o verão 2012. “Na moda todo mundo copia. Mas os coreanos agora também investem em equipes de criação em suas coleções”, afirma.

Entre elas está Mônica Kim, 48 anos, dona da Simple Life. “A Fashion Week só confirma as tendências que vemos nos grandes desfiles internacionais”, diz a estilista, que tem cinco funcionários trabalhando na criação das roupas de sua loja, direcionadas “a jovens senhoras”. Ela tem planos de colocar sua marca nas passarelas da Bienal na próxima edição da semana de moda. “Só não fiz isso ainda porque estava amadurecendo a ideia e traçando estratégias. Meu foco está muito direcionado a um determinado tipo de cliente. E isso tem de mudar.”

Fonte: R7




Deixe seu comentário