Encantadores de Histórias é atração no Sesc Bom Retiro; Confira

O Grupo Encantadores de Histórias é formado, atualmente, por oito recuperandos e dois ex-recuperandos da APAC de Itaúna. Mas muita gente me pergunta: o que é a APAC? A Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) é uma entidade sem fins lucrativos, juridicamente constituída, criada originalmente pelo advogado Mário Ottoboni, na cidade de São José dos Campos – SP.

Segundo Ottoboni, a APAC é uma entidade que dispõe de “um método de valorização humana, portanto de evangelização, para oferecer ao condenado condições de recuperar-se, logrando, dessa forma, o propósito de proteger a sociedade e promover a justiça”. Acredite se quiser: na APAC não há policiais nem agentes carcerários; voluntários atuam em diversas áreas e os presos tomam conta dos presos. Aliás, “preso” não, recuperando.

Em face dos excelentes resultados do Método APAC de recuperação de presos e dos baixíssimos índices de reincidência (em torno de apenas 10%), o TJMG criou, em 2001, o Projeto NOVOS RUMOS NA EXECUÇÃO PENAL, com o objetivo de humanizar a execução penal no Estado e difundir o Método APAC de ressocialização de condenados. Hoje, em Minas Gerais, temos mais de 50 APAC’s em funcionamento.

Sob minha direção, o Grupo Encantadores de Histórias começou a frequentar oficinas de contos, semanalmente, na APAC de Itaúna, desde setembro de 2004, trabalho que dura, portanto, seis anos.

Nas oficinas, os participantes escutam, contam, recontam, lêem e pesquisam histórias, além de ter aulas sobre postura corporal, técnica vocal, expressão oral, gestual e visual e outros segredos que formam o bom contador de histórias. Nos exercícios de improvisação, a criatividade e a memória são estimulados. Surgem belíssimas histórias que depois são transcritas e passam a pertencer ao repertório do Grupo.





Os antigos contos de fadas, repletos de ensinamentos e valores, são recontados e depois discutidos, gerando reflexão e releituras. Surge o interesse pela leitura como opção de lazer e o ofício de contador de histórias como opção profissional. Mas, principalmente, os contos surgem como opção de re-significação de vidas, de encantamento da própria história através da palavra, que passa a ter imenso valor.

O Grupo já se apresentou duas vezes na cidade do Rio de Janeiro – uma no Simpósio Internacional de Contadores de Histórias, em julho de 2006 e outra na abertura do ano letivo da Faculdade de Direito da UniverCidade, em março de 2005; em São Paulo, em maio de 2008, no BOCA DO CÉU – Encontro Internacional de Contadores de Histórias; no Minas Tênis Clube; no auditório do Fórum Lafayette em Belo Horizonte; no Encontro Jurídico Regional promovido pela Escola Judicial do Tribunal de Justiça em Alto Caparaó; em diversas comarcas de Minas Gerais; em eventos jurídicos das Universidades FUMEC e UNI BH; dentro da própria cidade de Itaúna e em diversos eventos dirigidos a juízes, advogados, estudantes, familiares, aos próprios recuperandos e a voluntários.

No dia 30/06, domingo às 12 horas o Sesc Bom Retiro recebe o espetáculo.

Confira o valor do evento no bairro do Bom Retiro:

R$ 8,00    [inteira]
R$ 4,00    [usuário matriculado no Sesc e dependentes, aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante]
R$ 2,00    [trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes]

Fonte: Sesc SP





Deixe seu comentário